Dor muscular pós exercício. O que é? Como agir? | Run Fitness Club

Dor muscular pós exercício. O que é? Como agir?

Com certeza você já teve dor muscular após um dia de academia. Esse fenômeno não é exclusivo do treinamento resistido, mas, com certeza, ocorre com maior frequência nos praticantes de musculação. Então vamos entender melhor como isso funciona.

A dor muscular tardia é originada principalmente pelo processo inflamatório e não pelo ácido lático, como é muito propagado. O acúmulo de ácido lático dificulta a execução do exercício e causa a sensação de que a musculatura está queimando, mas ele é removido quase que completamente em apenas 30 minutos após o treino.

A dor muscular tardia é um indicativo de que o treinamento que você realizou produziu microlesões na sua musculatura e gerou um processo inflamatório. O que pode parecer um excelente sinal de que o treinamento foi produtivo, em excesso pode indicar que, na verdade, ele foi prejudicial ao seu corpo.

A DTM – dor muscular tardia – pode ser definida como uma resposta inflamatória a pequenas lesões musculares causadas pelo esforço do músculo durante os exercícios.

Conforme a fibra muscular se reconstrói dessas microrrupturas, ela aumenta e se alonga. Por isso que a DTM é mais comum na iniciação à atividade física ou quando se realiza um exercício novo, que mobiliza grupos musculares menos utilizados. Esse tipo de dor tem seu auge de 24 a 72 horas depois da atividade e pode durar uma semana.

Embora mais ou menos desconfortável para alguns, sentir os músculos ligeiramente fatigados após a prática de exercícios físicos pode ser um bom sinal. 

SAIBA QUANDO A DOR DEPOIS DO EXERCÍCIO NÃO É NORMAL

Como vimos até aqui, sentir dores após o treino faz parte do processo de recuperação muscular. Mas atenção: as dores consideradas normais para o pós-treino devem durar de três a cinco dias após a atividade realizada. Se você perceber que por algum motivo elas aumentaram ou não são as dores que você costuma ter após malhar, não hesite em procurar um médico!

Apesar de normal é possível tomar algumas atitudes para evitar sentir a dorzinha incômoda após o treino. Para dores localizadas você pode apostar no uso de bolsa de gelo após o treino. Mas cuidado, essa atitude pode mascarar uma possível lesão mais grave portanto, fique atenta(o) à duração e intensidade da dor.

Outra boa dica para aliviar as dores é fazer massagem depois da atividade física. Existem diversas modalidades de massagem, da relaxante à esportiva, sendo esta última muito adotada por quem pratica atividades de médio e alto impacto.

Outra atitude que você deve adotar para evitar o desconforto muscular é investir no alongamento. A prática melhora o fluxo sanguíneo e, consequentemente, ajuda a remover os causadores do metabolismo das dores musculares. 

Veja mais posts do nosso BLOG

ANTI-INFLAMATÓRIO AJUDA?

Uma alternativa para interromper o processo doloroso é o uso de analgésicos e anti-inflamatórios. Entretanto, existem muitas dúvidas a respeito dos possíveis efeitos colaterais dos medicações (principalmente os anti-inflamatórios) sobre a saúde. Um deles é que os anti-inflamatórios podem prejudicar as adaptações que os músculos sofrem depois do treino.

Quando fazemos um exercício vigoroso, liberamos bradicinina, prostaglandina e radicais livres na musculatura. A bradicinina é responsável por aumentar o calibre dos vasos para chegar mais sangue ao local e acelerar a recuperação. Já a prostaglandina é responsável por gerar a dor na musculatura estimulada. A ação dos anti-inflamatórios é sobre produção das prostaglandinas, que é inibida. Entretanto, acredita-se que a prostaglandina também é atua como sinalizadora para que respostas anabólicas (ganho de massa muscular) e de recuperação muscular ocorram. Além disso, muitos estudos concluíram em ensaios clínicos que o uso de anti-inflamatórios não parece aliviar os sintomas de dor muscular tardia.

Pesquisas clínicas em animais comprovaram que o uso de anti-inflamatórios afetou o metabolismo proteico muscular. Estudos com humanos utilizando placebo, analgésico e anti-inflamatórios após atividades físicas comprovaram que o grupo que recebeu placebo teve uma síntese proteica (e, consequentemente, melhor recuperação e adaptação) do que os outros grupos. Foram medidas a quantidade de prostaglandina nos três grupos, sendo que o do placebo apresentou níveis mais altos da substância — 77%.

Porém, outras pesquisas evidenciaram que ao utilizamos os anti-inflamatórios chamados de inibidores da COX-2 (os mais modernos), não houve diferença na síntese proteica e na recuperação.

Conclusão: parece que os anti-inflamatórios mais modernos não afetam a adaptação muscular ocasionada pelo exercício. Porém sua eficácia para o alívio da dor é muito questionável.

Como vimos a dor muscular tardia é uma resposta a adaptação do corpo, e é benéfica em baixa intensidade, caso esteja sentindo muita dor pós exercício pode ser um sinal de que você foi além das suas possibilidades.

Se exercite com equilíbrio.

Quer aprender ainda mais sobre seu corpo? Confira nossa aba de MATERIAS

 

Open chat
1
Seja bem-vindo, podemos ajudar?
Powered by