Categorized as:

Por que idosos tem dificuldade em locomoção e como evitar?

O tempo passa e com ele as mudanças no nosso corpo se tornam cada vez mais perceptíveis. Para os idosos, às vezes, a locomoção é um problema.

Com o envelhecimento, percebemos inúmeras alterações físicas e também motoras, que de certa forma podem prejudicar nossa qualidade de vida. E a locomoção é uma delas.

Segundo dados do Ministério da Saúde, a população do Brasil é composta hoje por cerca de 29,3 milhões de idosos. Destes, 30,1% têm alguma dificuldade relacionada a locomoção.

Mas por que o envelhecimento traz problemas relacionados a locomoção?

A dificuldade em se locomover é ocasionada, muitas vezes, pela fraqueza muscular, problemas nas articulações, dores e algumas condições neurológicas.

Essas variações dependem dos genes, doenças e também estão muito ligadas ao estilo de vida que a pessoa leva, que pode determinar a velocidade que este processo acontecerá.

A rapidez no envelhecimento tem muito a ver com como o indivíduo se alimenta, se ele fuma, bebe e, principalmente, se pratica exercícios físicos regularmente ou se faz parte do grupo dos sedentários.

Prevenção e envelhecimento saudável

Para prevenir precocemente os problemas com a locomoção, é fundamental apostar desde cedo em uma vida equilibrada, com alimentação variada, rica em nutrientes e alimentos antioxidantes.

A uva, o espinafre e o morango, por exemplo, contém vitaminas do complexo B que são muito importantes no processo de envelhecimento saudável.

Evitar o excesso de bebidas alcoólicas e deixar o cigarro de lado também é muito importante para melhorar a sua qualidade de vida, afinal, eles são grandes causadores de doenças como aumento da pressão arterial e acidente vascular cerebral.

Outra dica e talvez a mais importante delas para evitar problemas de locomoção no futuro é apostar em uma rotina duradoura de exercícios físicos.

As atividades físicas como a musculação previnem as perdas ósseas e musculares, consequências muito comuns do envelhecimento.

Além disso, a academia pode lhe ajudar na melhora do equilíbrio, controle da pressão arterial, controle da diabetes, diminuição da gordura corporal, potência aeróbia e vários outros benefícios.

Sem contar a melhora cardiovascular. O exercício físico proporciona a melhoria no funcionamento cardíaco, tornando o coração muito mais forte e eficiente.

E vale lembrar que a musculação pode e deve ser realizada também na terceira idade, pois é nesse estágio que os músculos precisam de estímulos para manter o fortalecimento, evitar problemas de locomoção e quedas.

Sim, as quedas. Elas são muito comuns entre os idosos e podem ser evitadas com um treinamento especializado.

Um estudo realizado na Nova Zelândia em mulheres de 80 anos de idade mostrou uma redução de 40% nas quedas com treino força simples e treinamento de equilíbrio.

Então, tá esperando o que pra começar a levar uma rotina mais saudável?

São atitudes simples, mas que lá na frente farão toda diferença.

E tenha sempre em mente: todos nós envelheceremos um dia, mas cabe a cada um de nós fazer escolhas para chegar na terceira idade da forma mais saudável possível. 

Curtiu? Fique ligado no nosso blog e não perca nenhum post! Temos várias dicas para você que quer ter uma vida mais equilibrada e feliz.

Quais os benefícios da musculação para quem tem diabetes?

Todo mundo sabe que quem possui diabetes pode levar uma vida normal e equilibrada, praticando exercícios e se alimentando normalmente.

Mas você sabia que algumas atividades físicas podem fazer com que alguns indivíduos deixem a insulina de lado? 

A musculação, por exemplo, pode ser uma excelente aliada no controle da doença. O treinamento de força contribui muito para que o corpo recolha a glicose excedente na circulação, fazendo com que o nível da mesma no sangue do indivíduo também diminua.

Mas como isso funciona para quem possui diabetes?

Musculação e Diabetes

É assim: a musculação é responsável por ativar os canais de cálcio do músculo, desencadeando reações dentro das células para expressar o receptor insulínico na membrana celular.

Ficou complicado? A gente explica melhor.

A contração muscular que é feita durante a musculação aciona um transportador de glicose chamado GLUT4, que fica localizado dentro da célula. Quando o músculo é contraído, o GLUT4 se movimenta do interior para a superfície da mesma.

Quando isso acontece, o GLUT4 consegue absorver a glicose do sangue de modo mais eficiente, “queimando” a glicose, função esta que geralmente é muito mais complicada no organismo de quem possui diabetes.

Tudo isso impede que a glicose se acumule na corrente sanguínea, como costuma acontecer com quem possui diabetes.

E tem mais: todo esse processo de liberação do GLUT4 para encontrar a glicose presente no sangue é independente da insulina. Sim, é isso mesmo!

Anida que não exista a produção de insulina no organismo, é possível baixar os níveis de glicose no corpo do diabético apenas com a musculação. Incrível, né?

E os benefícios vão além

Segundo uma pesquisa realizada pela Universidade Estadual Paulista, em Presidente Prudente, os diabéticos sedentários têm um gasto financeiro 63% maior com consultas médicas em comparação com os ativos. Os sedentários também gastam muito mais em medicamentos que os participantes que praticam algum exercício.

Além disso, a atividade física proporciona o controle do peso, melhora do sistema cardiovascular, alívio do estresse e fortalecimento da musculatura.

Então, vamos começar?

Antes de qualquer coisa, é necessário entender que um treino feito sem acompanhamento de uma equipe multidisciplinar, de forma incorreta, pode causar possíveis crises de hipo ou hiperglicemia – quando o açúcar baixa ou sobe demais no sangue – ocasionando alguns sintomas desagradáveis.

Por isso, se você possuir diabetes, é fundamental seguir alguns passos antes de começar a se exercitar:

  • Faça um check-up com seus médicos (endocrinologista, cardiologista e oftalmologista);
  • Procure um educador físico, de preferência alguém especializado na área;
  • Alimente-se de forma leve, sempre com a orientação de um nutricionista;
  • Hidratação é fundamental antes, durante e depois do exercício;
  • Tenha sempre um sachê de açúcar à disposição. Se a glicemia baixar demais, ele será necessário;
  • Meça a sua glicemia antes e depois de se exercitar.

Não tenha medo de ser feliz. A pessoa com diabetes tem tanto potencial para evoluir no treino quanto qualquer outra, podendo se tornar um atleta profissional e competir de igual para igual com os atletas não diabéticos. Tudo isso vai depender da sua determinação e cuidados com a sua saúde.

Gostou de nossas dicas? Então que tal começar agora a ter uma vida mais saudável e feliz?

É possível aumentar a massa magra através das plantas

Diferente de várias dietas que existem por aí, a alimentação à base de plantas se caracteriza por ser uma filosofia de vida que prega o não consumo de alimentos industrializados e ingerindo menos (ou quase nada) de produtos de origem animal.

Sendo à favor de uma vida mais equilibrada, a alimentação à base de plantas – especialmente as cruas – vêm ganhando mais adeptos com o passar dos anos. Dos sedentários aos mais fitness, não são poucas as pessoas que buscam se desatar das amarras do consumo de industrializados.

No entanto, apesar dessa evolução, ainda se encontram dúvidas sobre a relação deste tipo de alimentação  com o aumento de massa magra. Afinal, é um costume dos fisiculturistas e de quem tem treinos mais pesados, comer várias porções de carne, principalmente frango. Parece algo essencial para manter a forma.

Certo?

Bem, nem tanto.

Como se constroem os músculos?

Para criar e aumentar o volume dos músculos, é necessário feri-los. Isto é, romper a fibra. A reconstrução delas é um processo natural do corpo e para isso ele usa dos aminoácidos. Se o corpo puder prover mais aminoácidos, melhor essa reconstrução será feita e maior o volume do músculo.

Para que esses nutrientes estejam disponíveis, é necessário consumir proteínas em quantidades elevadas. Para quem quer ganhar massa magra, o ditado sempre foi “consuma mais do que você queima”.

Por isso, é comum ver quem prática treinos mais pesados com uma dieta à base de muito frango, batata, outras proteínas e carboidratos do tipo. Apostamos que você já viu ou conhece alguns deles, não é?

Por isso, é até natural possuir tal dúvida. “Como aumentar minha massa magra se não como o mesmo tipo de alimento que os essas pessoas?”.

Acontece que na a alimentação à base de plantas, a lógica é a mesma que a explicada acima. Apenas as fontes dessas proteínas serão diferentes.

A dieta à base de plantas para quem quer ganhar massa magra

Uma dieta baseada em vegetais pode ser muito rica, o que facilita na obtenção de praticamente todos os nutrientes necessários para aumentar sua massa magra.

O desafio de quem é adepto desse lifestyle está em justamente elaborar a própria dieta e conciliá-la com seus treinos, buscando ou aumento ou manutenção da sua massa magra.

Porém, da mesma forma que a muitos frequentadores assíduos de academia, os adeptos dessa alimentação mais saudável, sem industrializado e menos carne, também podem precisar da ajuda de um nutricionista para conseguir uma dieta balanceada, de acordo com seu perfil, estilo de vida e objetivos. Inclusive a gente sempre recomenda que se desejar fazer alguma alteração na sua alimentação, primeiro converse com uma nutricionista!

Uma vez estabelecido um plano alimentar que contemple opções ricas em proteínas e que dê nutrientes necessários para aguentar os treinos, é só partir para a prática e ir para a academia.

Normalmente, os alimentos que estas pessoas mais consomem para que seus treinos tenham mais resultados são:

  • Carboidratos: Batata doce, aveia, arroz integral, frutas.
  • Verduras e vegetais: Espinafre, vagem, brócolis, couve-flor, espargos.
  • Proteínas: Feijões, quinoa, cogumelos, sementes de cânhamo, grão de bico.
  • Lipídios (Gordura): Abacate, linhaça, amendoim, nozes, amêndoas, pasta de amendoim, óleo de coco, castanha.

Esses são só exemplos, mas já são o bastante para você ter uma boa ideia de como a dieta de uma pessoa que come menos carne, funciona.

E então, viu como é possível ganhar massa magra mesmo com uma alimentação com menos carne? Esse é um desafio que todos conseguem enfrentar e, com força de vontade, superar. Que tal você tentar?

Se gostou dos nossos conteúdos e quer ler mais sobre vida fitness e equilibrada, além das novidades da Run, é só ficar ligado em nosso blog!

Como o Yoga pode nos trazer mais alegria

Ter alegria em nossa rotina atual é um verdadeiro desafio, não é? São muitos os obstáculos, mas nós sempre devemos procurar meios de enfrentá-los. Mesmo assim, muitos se precipitam.

Buscar soluções drásticas pode parecer uma ideia atraente, mas mudanças profundas como sair do emprego ou mudar de faculdade nem sempre resolvem.

A resposta para reencontrar a alegria no seu dia a dia, na verdade, pode estar em uma atividade muito mais leve que você pensa.

Benefícios do Yoga

Se você nos acompanha já sabe disso, mas bastam pequenas alterações no seu dia para que as coisas voltem aos trilhos.

Alimentação, exercícios ou práticas saudáveis e leves, como o yoga e a meditação.

Falaremos aqui dos dois últimos e de como praticá-los pode traçar um caminho mais pleno para construir uma rotina equilibrada e com muito mais sorrisos.

Plenitude e Alegria: Os benefícios do Yoga

Praticado de diversas formas, que variam posições e poses corporais de níveis básicos até mesmo os mais complicados, o Yoga trabalha corpo, mente e espírito. É por isso que seus benefícios se manifestam em estado físico e mental.

Em princípio, por ser uma atividade física leve e calma, o Yoga exercita a respiração. As posições, sempre determinadas pelo tempo de execução, alongam grupos musculares inteiros e também testam as articulações.

Significa que, cada vez que você pratica Yoga, está ajudando a melhorar seu corpo, dando mais vitalidade ao seu organismo e aprimorando diversos aspectos secundários.

Um deles é a postura.

O Yoga tem função essencial na melhora da sua postura. A prática constante e a evolução gradual das posições afeta no modo como sua coluna se comporta. Por isso, o Yoga tem um efeito regulador, que buscar alinhar seu corpo para ser o mais perfeito possível.

Já no quesito mental, a prática do Yoga está ligada com melhorias psicológicas, totalmente ligadas com a alegria no seu dia. A relação com a meditação é uma das causas disso. Tudo por que, enquanto o Yoga é executado, o sistema nervoso central fica mais relaxado.

Só essa ação já é responsável por melhorar sintomas de quem possui insônia, por exemplo.

Importante, porém, é manter a prática como algo rotineiro. Um estudo da Universidade de Boston comprovou que cerca de 3 meses de Yoga já são o bastante para reduzir os níveis de ansiedade.

A endorfina, neurotransmissor normalmente liberado após atividades físicas, também age nos praticantes de Yoga. Com isso, você aumenta sua resistência física e também mental, melhorando seu humor e vários outros aspectos.

Ou seja, muito além de um passatempo, o Yoga pode efetuar verdadeiras mudanças no seu corpo e na sua mente. Todas elas, de alguma forma, constroem a base para uma rotina com mais alegria.

E se está tão complicado conciliar as tarefas, os trabalhos, os relacionamentos, por que não buscar ajuda em uma atividade física que promete equilibrar você, da sua coluna até o nível mais profundo da sua mente?

São perguntas como essa que futuros praticantes de Yoga se fizeram. E você, fez? Se a resposta foi “sim”, nós recomendamos muito que pense em praticar.

É a prova que você assumiu um compromisso com seu corpo e sua mente.

Se já é praticante, nos conte nos comentários como o Yoga mudou sua vida e quais benefícios ele trouxe? É bem possível que suas experiências sejam o empurrãozinho necessário para aquele leitor ou leitora que ainda não se decidiu sobre começar o Yoga.

 

E se você curtiu o conteúdo, é só ficar ligado em nosso blog para mais postagens. São dicas ou informações valiosas para te ajudar a construir uma rotina mais equilibrada e cheia de alegria!

Por que a reeducação alimentar é a chave do emagrecimento

Muitas pessoas veem o emagrecimento como uma etapa única. A intuição leva à resoluções fáceis, coisas como “se o problema é a comida, então paro de comer!” e pensamentos parecidos permeiam a mente de quem se encontra em necessidade de perder peso.

O que essas pessoas, e talvez você que esteja lendo, não sabem, é que o emagrecimento é um processo extremamente complicado para o corpo e para a mente. Normalizada, a expressão “dieta” virou sinônimo de mudança alimentar, mas também de frustração e fracasso. O erro, no entanto, começa na sua aplicação.

Não é com uma dieta que se emagrece, mas com reeducação alimentar.

Qual a diferença entre dieta e reeducação alimentar?

Apesar de soarem iguais, ambas têm objetivos, execuções e resultados que variam muito.

Uma dieta é um programa alimentar específico, onde certos alimentos podem ou não ser restritos, e cujo objetivo é sempre bem definido: preparar-se para uma competição atlética, ganhar massa muscular, controlar colesterol ou coisas do tipo.

Por conta disso, é extremamente dependente da fisiologia de cada pessoa, sendo necessário acompanhamento profissional constante.

A dieta também pode valer para falar do seu tipo de alimentação rotineiro. Por exemplo, pessoas com diabetes normalmente mantém dietas dietéticas (sem açúcares) para controlar seu quadro de saúde.

Já a reeducação alimentar trata-se de um acordo muito mais profundo entre sua mente e seu corpo. É manutenção de um hábito em busca de uma alimentação que, progressivamente, irá se tornar mais saudável.

Longe das restrições da anterior, normalmente as reeducações alimentares prezam mais por gosto do que o que você necessita ou não. Quer comer um chocolate? Coma! Beber uma cervejinha? Beba! O importante, porém, é saber balancear.

Nesse processo, é a consciência que toma lugar de engrenagem, responsável por fazer tudo fluir e sua alimentação evoluir. Diferente da dieta, onde a engrenagem é apenas a persistência.

Enquanto a dieta funciona quase como um programa, um ciclo que se encerra ao atingir o objetivo, a reeducação alimentar é para sempre. Por isso, apesar de não apresentar resultados tão rapidamente, ela funciona e muito para o emagrecimento e para ter um corpo saudável não apenas no agora, mas no futuro.

E como a reeducação alimentar coopera com seu emagrecimento?

Se reeducar não é das tarefas mais fáceis. É preciso bastante foco no começo, um trabalho mental forte de saber o que será melhor para sua saúde. A tentação existe, mas é claro que você pode descontá-la (com muita prudência, é claro).

De início, as trocas alimentares que você pode fazer são bem simples, mas que farão grande diferença nos seus resultados.

Por exemplo, você está acostumado a tomar uma latinha de refri no almoço? Então que tal trocar por um copo de suco natural? Sacia a sede e nutre seu corpo! Mais além você pode alternar os sucos com água mineral.

Seus lanchinhos de meio do expediente ou do fim do dia são doces ou chocolates? Que tal começar a alterná-los com frutas que você gosta, vitaminas ou mesmo sucos naturais!

Aliás, quantas colheres de açúcar você põe no seu café? Duas, três? Que tal pensar melhor nesse açúcar refinado e na próxima passada ao mercado levar o mascavo ou stevia? Conforme você vai diminuindo o açúcar (e mesmo o sal) do seus temperos, a forma que você sente o gosto do alimento muda para melhor!

Viu só? É através de passos simples que a reeducação acontece. Às vezes a questão é de uma prateleira de diferença entre a comida que não coopera com seu peso e aquela que, além de gostosa, vai contribuir com seu emagrecimento.

Você já tentou, alguma vez, iniciar uma reeducação alimentar? Como foi este processo? Compartilhe conosco aqui pelos comentários!

Conheça todos os benefícios da musculação

A musculação pode ser a válvula de escape para alguns, mas também o tabu de outros. Entrar na academia e enfrentar os pesos, as séries de exercícios, lidar com aquela dorzinha pós-treino… Já viu, né? O pensamento que fica é: “Opa, melhor passar longe!”

Mas será mesmo?

Como toda atividade física exercida, é claro que a musculação tem seus benefícios. Você aí, que está receoso em pegar nos pesos, sabe disso. O que te prende, no entanto, é aquele friozinho na barriga de não saber como fazer os exercícios, como manter a motivação, como e quando os resultados vão chegar — e se vão chegar.

Aqui em nosso blog falamos muito sobre rotina. O ritmo diário que impomos a nós mesmos, os seus desafios, os happy-hours, as horinhas investidas na academia, seja na esteira ou naquela aula de yoga.

A musculação, como tudo isso, é uma questão de rotina. Vai um pouco de persistência para que isso aconteça? Vai sim, mas, respondendo a questão acima, é aí que os resultados chegam — e geralmente impressionam!

Por mais que o pensamento comum de quem esteja receoso em entrar na área de musculação seja: “Bom, sempre tem a esteira!”, não é o mais correto. Na verdade, a musculação soma benefícios aeróbicos com circulatórios e cardiovasculares.

Um verdadeiro golpe de saúde, que começa nos seus músculos e se dissipa por todo seu corpo. Agora, as formas com que a musculação faz isso é que são variadas.

Por que fazer musculação? Benefícios que você conhecia (e outros que não conhecia) para te convencer!

#Ganho de massa muscular e tonificação

Talvez você conheça o principal: crescimento e tonificação dos músculos. Realmente, por ser o foco do exercício, é o mais aparente. O estímulo que os pesos exercem rompem nossas fibras musculares, que então são reconstruídas. É nesse processo de reconstrução que mora o aumento de massa muscular.

A tonificação vem como brinde de outro benefício muito conhecido: a queima de gorduras. Após algum tempo de prática, você começa a perder peso. Isso acontece justamente por conta daquele processo descrito acima. A reconstrução das fibras exige muitas calorias do seu corpo, o que ajuda a queimar a gordura e deixar os músculos mais aparentes.

#Força

Todos nós já sabemos que treinando na musculação vamos aumentar nossa força. Isso é básico!

O legal é que os primeiros aumentos de força que você vai experimentar vem justamente de onde você não imagina, do sistema nervoso! No início da prática você já sente essa sensação de que está ficando cada vez mais fácil, e isso porque o seu corpo está aprendendo a executar melhor aquele movimento. Quanto mais variamos os estímulos, mais resultados! 😀

#Previne osteoporose

Ao deixar nossos músculos em forma, protegemos nossos ossos e articulações. Assim, as as chances de fratura e torção são bem menores. Já a osteoporose, doença que provoca perda de massa óssea e causa sua fraqueza, também é uma das vilãs que a musculação combate.

Por causa dos exercícios, os ossos absorvem cálcio. Isso os fortifica e causa um ótimo efeito à longo prazo, que o protegerá da doença no futuro, pois é na velhice que a osteoporose mais se manifesta. Convencido? Bora treinar!

#Melhora o metabolismo

Se não bastasse o up que a musculação exerce nos músculos e ossos, a prática também acelera seu metabolismo. Lembra do processo que descrevemos acima, da reconstrução das fibras musculares e como isso exige calorias? Então! É aí que seu metabolismo começa a melhorar.

Não dissemos lá em cima, mas esse é um dos melhores efeitos da musculação: sua capacidade de agir no corpo mesmo após a prática. Isso porque o tecido muscular (e todo esse processo) exige energia mesmo se estiver parado.

#Tem efeito até na sua mente!

A positividade que a prática da musculação traz não está somente no que se vê, mas também no que se sente. A musculação é o meio que você usa para atingir seus objetivos de corpo e saúde. Ao ver os resultados, sua autoestima só melhora, assim como seu humor e sua disposição.

As experiências do treino, aliado a essa vibe boa, te ajudam a sempre aprimorar seus exercícios, exigir mais de si mesmo e, claro, conhecer mais pessoas. Afinal, na academia, há inúmeras outras pessoas passando (e aproveitando) por tudo isso que você mesmo está passando.

Para muitos, é a hora perfeita para socializar, se divertir e, de quebra, ter aquela dose boa de saúde. E aí, convencido? Então bora treinar!

Se quiser acompanhar mais posts sobre saúde, nutrição e atividades físicas, fique ligado aqui em nosso blog ou mesmo nas atualizações diárias do nosso Facebook! Esperamos por você aqui na Run!

7 passos naturais para melhorar o sono

Você deita na cama e passa horas enrolando, mas parece que não importam os métodos, você simplesmente não consegue dormir. A solução mais rápida? Remédios. Essa é a sina de quase 11 milhões de brasileiros segundo a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), feita em 2016, e que comprovou a relação das pessoas com os medicamentos para induzir o sono.

O problema desse número é que muitas pessoas, antes de sequer buscarem auxílio médico apropriado, começam a se automedicar. Quando falamos de um problema crônico, a medicação é um elemento receitado, mas e quando o problema pode simplesmente ser resolvido com algumas mudanças no seu dia a dia?

Foi entendendo o tamanho desse problema que resolvemos abordar o tema. Automedicar-se é um movimento arriscado e que pode comprometer seriamente sua saúde corporal e mental. Ainda assim, parece a resposta mais conveniente… Não?

Na verdade, são inúmeros os fatores do seu dia a dia que, geralmente, são os causadores dos seus problemas para dormir. Melhorar o sono, portanto, está muito mais baseado numa mudança de hábitos.

Não se trata de induzir seu sono de forma química, mas sim de conscientizar e reeducar sua mente — e claro, apelar para alguns macetes saudáveis. Então, ficou interessado e quer aprender um pouco mais sobre como melhorar o sono? Continue conosco!

As melhores formas naturais de melhorar o sono

Entre mudanças na sua dieta e outras que envolvem sua rotina, há sempre como encontrar um meio-termo entre as alternativas abaixo e adequá-las ao seu dia a dia. Em suma, são coisas que já deveríamos fazer, mas por conta da correria, negligenciamos.

Chegou a hora de mudar isso.

1# Menos café, mais chá de ervas

Por ser um forte estimulante, a cafeína é a maior pulga atrás da orelha para aqueles que não conseguem pregar os olhos. Melhorar o sono, portanto, está em conscientizar-se de forma a evitar a bebida já nas horas que precedem seu sono, além de, é claro, procurar reduzir seu consumo.

Uma ótima alternativa está nos chás com propriedades calmantes, como de camomila ou valeriana. Um xícara do preparo quente ou morninha pode preparar melhor seu corpo para o momento do sono, além de servir como um ótimo ritual pré-sono.

2# Alimentos gordurosos? Tô fora!

Novamente, pontuamos os estimulantes, mas dessa vez para os sólidos. Alimentar-se com comidas gordurosas afetam o funcionamento do seu organismo e podem ser um problema para quem quer cair no sono.

A solução, e não falamos apenas para melhorar o sono mas sim para a saúde como um todo, é buscar fazer alimentações leves pela noite. Essa atitude sozinha faz muito bem para o metabolismo e, de quebra, deixa você mais leve para dormir.

3# Chegou a hora de considerar o yoga

Apesar de (ainda) não ter sido comprovado cientificamente os benefícios do yoga para o sono, é evidente seu poder no relaxamento do corpo e da mente. Se sua incapacidade é de relaxar nos momentos em que precedem o sono, o yoga pode servir feito uma luva para corrigir esse problema!

Mas, se isso não é o bastante para convencer você, pense nos benefícios da prática como um grande efeito dominó. Estabelecer uma rotina de yoga fará você trabalhar corpo e mente em busca do equilíbrio. Ao encontrá-lo, você passa a sofrer menos com o estresse. A partir daí, melhorar o sono é apenas a próxima etapa.

4# Quer uma coisa mais relax? Medite!

Outra alternativa de relaxamento pode vir de uma boa meditação. Comprovado através de estudos, alguns anos atrás, a meditação tem um ótimo efeito para quem busca melhorar o sono (e também aumentar sua duração).

A internet está cheia de tutoriais de meditações rápidas, boas para serem feitas nos momentos antes de dormir. Se quer algo mais profissional, busque auxílio nas academias ou centros de meditação próximos!

5# Que tal um banho quente?

Ao elevar a temperatura do corpo com um banho quente, você passa por um processo de resfriamento ao sair que pode contribuir para ajudá-lo a dormir. Apesar de ser um método difícil de aplicar sempre, ainda mais no verão brasileiro, é uma boa para os dias frios ou frescos.

6# A hora de dormir vale para todos: você, seu celular e seu notebook

A luz azul emitida pelos aparelhos celulares e notebooks, normalmente a centímetros ou palmas da vista, nos deixa alertas. Além disso, a interação constante (através de apps de conversa, redes sociais e etc) nos deixa em estado de vigília.

Apesar de existirem métodos para driblar isso, como os módulos noturnos nativos do celular ou que funcionam graças a apps, a melhor recomendação é se afastar dos celulares e notebooks e reservar a hora do sono para o sono.

7# Achou que não ia ter exercícios físicos? Achou errado!

Apesar de soar contra os intuitos, exercitar-se de leve antes de dormir ou praticar alguma atividade física horas antes de dormir pode exercer um ótimo efeito para na sua soneca.

Além do cansaço que fica da atividade, você se sente mais propenso a simplesmente deitar e dormir, sem interesse para outras distrações comuns (como celular, vídeo game e etc).

E aí, gostou das dicas sobre como melhorar o sono de forma natural? Fique ligado no nosso blog que logo, logo virão muitas outras dicas e artigos úteis para sua saúde!

Como fazer a Gestão do Tempo em prol de sua saúde

Para quem acompanha nossos posts, sabe que a rotina é um tópico importante. Sempre mencionado, sempre requisitado. Ter uma rotina planejada não faz bem só para seu ambiente profissional, mas também faz muito bem para seu pessoal — incluindo seu treino!

Acontece que, para a atividade física compensar e dar os resultados que você espera, você precisa saber encaixá-la no seu dia a dia. Em outras palavras, para qualquer atividade, inclusive as da academia, você precisa de uma boa gestão do tempo.

E quando falamos isso, queremos dizer até mesmo fora do trabalho. Um planejamento que abrace seu dia inteiro e o organize. Por quê? Muitas vezes, é esse o culpado de você pular — ou mesmo deixar de fazer — seus treinos. E, cá pra nós, não é isso que queremos, certo?

Gestão do Tempo: como aplicá-la no meu dia a dia?

Muitos dos que leem esse artigo compartilham da mesma âncora: o trabalho. É ele quem regula nossa hora de acordar e nossos momentos de descanso. É nele que investimos boa parte do nosso tempo. Então, o que nos resta é planejar como utilizar o tempo de sobra.

Por sermos seres sociais, optamos sempre pela ocupação que nos importa. É a que, segundos nossos gostos, mais nos beneficia. Uns preferem um happy hour num dia, um cinema no outro, uma noite em casa no próximo… É assim que nos regulamos.

Fazer sua correta gestão do tempo, portanto, é botar na balança (e no papel, se preferir escrever) quais dessas atividades você mais vai se beneficiar e em quais dias é melhor praticá-las.

Opa, mas espera aí… Em nenhum momento a atividade física entra nos seus planos?

É porque, geralmente, saúde não soa como prioridade. Se não temos uma condição médica que nos faça cuidar do corpo, então por que fazê-lo, certo? Bom, como você deve imaginar, esse pensamento está bem errado.

Tornar a saúde prioridade é um ato de responsabilidade, é a comunhão do seu corpo e da sua mente para que ambos trabalhem em busca do melhor. Não importa se você está nos 20 ou nos 30, saúde deveria ser sempre uma prioridade. Então, se você não começou, que tal começar agora?

Estando de acordo com isso, o resto é puro planejamento. Se você quer manter a agenda escrita ou no celular, a escolha é sua, mas é importante começar a destrinchar sua semana, seus compromissos e seu tempo livre. É assim que você vai fazer a gestão do tempo e encontrar sua horinha ideal para a academia.

Para ajudar nessa tarefa, reunimos algumas dicas para auxiliar na montagem do seu planejamento. De itens pontuais até mesmo os que você pode tomar para toda a vida, com certeza aqui você vai achar as melhores formas para fazer a gestão do tempo no seu dia — e encaixar seu treino e sua saúde nele. Vem!

#Liste suas tarefas

Como dissemos antes, use a ferramenta que você mais gosta e que sente que pode confiar. Essa lista nos dá o tamanho da bronca que enfrentaremos no dia e nos deixa mais preparados para isso.

Como primeira ação, serve também para definir prioridades, urgências e pendências. Está devendo para sua saúde? Então coloque na sua lista!

#Mantenha a flexibilidade

Foque no resultado e deixe a âncora do horário em segundo plano. Com o tempo, você vai ver que essa prática leva a um equilíbrio natural de horários — e possivelmente até a uma sobra, que você pode usar na academia ou naquele esperado happy hour!

#Faça as coisas de um jeito diferente

Ser monótono nos prende à zona de conforto. Portanto, inove! Além de encontrar soluções variadas para um mesmo problema (alô, inteligência!), você acaba se motivando ainda mais.

Isso não vale apenas para seu trabalho, mas em qualquer coisa: que tal ir para a academia usando um trajeto diferente? E se for de bike? Viu só? Tem muito detalhezinho (e detalhezão) do seu dia esperando por um toque de inovação.

#Não se esqueça do lazer

E é claro, você ainda vai ter suas horas de descanso e lazer. Já falamos do happy hour, sim, mas você pode considerar uma noite livre como lazer. Um final de semana na praia. Coma uma pizza, beba um vinho. Faça coisas que te alegrem e tirem o peso das costas e o estresse da mente.

Mas nada em exagero, hein!

Viu como é fácil sentar e organizar sua rotina, fazer a gestão do tempo do seu dia a dia de uma forma leve e que coopera com sua saúde? Encaixar uma horinha 2x ou 3x por semana para a academia é possível — e só vai te trazer benefícios. Basta saber que seu corpo é uma prioridade tão grande quanto qualquer outra. Combinado?

Se você é de Florianópolis e se encontra querendo ajeitar a gestão do tempo da sua semana e investir na sua saúde, nós aqui da Run te convidamos a nos visitar! Atendemos com um horário estendido, que coopera com todas as rotinas:

Estamos abertos de segunda à sexta das 6h às 24h. Nos sábados das 9h às 14h. Nos domingos e feriados das 17h às 20h.

O Processo de emagrecimento

Em nosso cotidiano estamos envolvidos com uma série de atividades e mal temos tempo para sentarmos calmamente, escolhermos nossa alimentação e equilibrá-la com qualidade.

Essa questão nutricional é muito importante na problemática do emagrecimento, entretanto, fatores psicológicos e culturais também estão envolvidos nesse problema, na medida em que, constituem a personalidade de uma pessoa com dificuldades para emagrecer. 

Nossa sociedade estabelece que uma pessoa acima do peso, mesmo sendo saudável, é aquela que está fora dos padrões estéticos de beleza, que caracterizam o belo como sendo o magro, o esbelto. Juntamente a isso há toda uma rotulação e um preconceito em relação ao gordo.

Frente a esse contexto, a pessoa é “lançada” a uma exigência social de que deve fazer uma dieta para emagrecer e manter o peso “ideal”, determinado pelo social.

Assim, o ser magro é imposto pela sociedade como um dever-ser

Essa questão cultural acaba “jogando” a pessoa na ansiedade e numa relação de “corredor” com o emagrecimento, fazendo com que só pense em alimentação e dietas. Ao vivenciarem isso, as pessoas geralmente são “engolidas” pela situação, se “movem” por ela, só falam dela e com isso não tomam “distância” da comida.

Como consequência, podem sentir cada vez mais vontade de comer, acabam comendo, e assim rompem com sua dieta ou a manutenção desta. Outro aspecto cultural implicado nessa questão é a noção “mágica”, imediatista, de que, simplesmente, pelo fato de começarmos uma dieta ou diminuirmos a quantidade de alimentos em pouco tempo estaremos magros.

Esquecemos que houve todo um processo que envolveu tempo e ações para engordarmos. A relação com o emagrecimento se dá da mesma forma. É necessário agir de modo a possibilitar que ele ocorra e isso implica em tempo e ações, na medida em que é um processo de emagrecimento.

E a mente, como fica?

O acompanhamento psicológico proporciona, à pessoa, reflexões a respeito do corpo que ela deseja ter, como quer ser e estar no futuro, e ainda, procura auxiliar na manutenção dos resultados da dieta nutricional e médica, fazendo com que ela se reconheça como podendo ser magra e fazendo o caminho necessário ao emagrecimento.

Nesse sentido, a pessoa passa a ter motivos para agir e emagrecer, que é o permitir-se um futuro no qual ela se vê saudável e satisfeita, inclusive, esteticamente.

E você, como encara o processo de emagrecimento? Você acredita que trabalhar o lado emocional é importante neste contexto? Compartilhe conosco sua opinião através dos comentários!

Por: Georgia Bunn – Psicóloga
CRP – 12/08000