Não deixe seu cérebro estressado!

Não deixe seu cérebro estressado!

Cada vez mais a rotina frenética tem deixado as pessoas estressadas. E o cérebro estressado se tornou o maior problema de saúde da sociedade atual. Mais de um terço dos adultos relatam que o estresse aumentou no último ano. Vinte e quatro por cento relatam ter situações de estresse extremo, acima dos 18% do ano anterior, de acordo com a American Psychological Association.

Proteja-se!

Como funciona o cérebro estressado

Primeiro, entendendo seu cérebro

Antes de começar a falar dos impactos do estresse, você precisa saber como seu cérebro funciona. Imagine-o como uma máquina, que possui diferentes peças que executam diversas funções distintas:

  • Controla a temperatura corporal, pressão arterial, a frequência cardíaca e a respiração;
  • Absorve uma enxurrada de informações que são coletadas diariamente através, principalmente, dos cinco sentidos;
  • Lida com todos os seus movimentos de sentar, caminhar, falar, etc;
  • E, é o responsável pelos sonhos, raciocínio lógico e experiências emocionais.

Portanto, uma grande quantidade de tarefas são coordenadas e reguladas por um órgão do tamanho de uma pequena cabeça de couve-flor.

Mas, de acordo com pesquisadores da Harvard Medical School, enquanto uma parte do seu cérebro está envolvida em uma atividade, outras partes não tem energia para lidar com outras tarefas fundamentais.

Por exemplo, se você está em situação de perigo a amígdala assume e a parte do seu cérebro que armazena memória recebe menos energia. Resumidamente o cérebro desvia energia porque está no modo de sobrevivência e não no modo de memória.

Efeito do estresse no cérebro

O estresse pode atuar de formas diferentes no cérebro, inclusive influenciando diretamente no corpo. O cérebro estressado gera uma reação em cadeia. Quando há uma situação estressante, por exemplo, a amígdala, responsável pelo processamento emocional, envia um sinal de socorro para o hipotálamo.

Esta área do cérebro funciona como centro de comando. Ela comunica a todo o restante do corpo, através do sistema nervoso, que é preciso dedicar energia para fugir ou lutar.

Essa resposta de “luta ou fuga” é responsável pelas reações corporais que a maioria das pessoas associa ao estresse, incluindo aumento da frequência cardíaca, aumento dos sentidos, ingestão mais profunda de oxigênio e adrenalina.

E, no momento que a situação se encerra, o cortisol é liberado, e ajuda a restaurar a energia perdida na resposta ao estresse. Resultado, o corpo retorna e há uma sensação estase.

Mudanças que ocorrem a longo prazo

Existem diversas evidências que comprovam que o cérebro estressado passa por mudanças de longo prazo. Quanto mais estressado, mais cortisol é liberado, e essa associação pode causar problemas.

Altos níveis de cortisol podem desgastar a capacidade do cérebro de funcionar adequadamente. De acordo com vários estudos, o estresse crônico prejudica a função cerebral de várias maneiras.

Como, por exemplo interferir na regulação das sinapses, perda da sociabilidade, falta de concentração e levando até a quadros depressivos.

O cérebro estressado pode matar células cerebrais e até reduzir o tamanho do cérebro. O estresse crônico tem um efeito de encolhimento no córtex pré-frontal, a área do cérebro responsável pela memória e aprendizado.

Como proteger o cérebro do estresse

Para lidar com o estresse, você deve saber como minimizar os fatores que o fazem surgir ou o pioram. Deixamos algumas dicas que podem ajudá-lo a minimizar os riscos e efeitos prejudiciais do cérebro estressado.

Tenha controle da situação

Já que o estresse é imprevisível, foque naquilo é controlável. Ter uma rotina é uma excelente para desenvolvimento e para a saúde. Assim é possível combater o estresse preditivamente.

Tenha uma boa noite de sono

O cérebro estressado pode resultar em dificuldades para dormir e consequentemente a falta de sono pode piorá-lo. A falta de sono faz com que partes do cérebro tenham menor desempenho. Portanto, ter uma noite de sono saudável é um dos princípios para um cérebro mais tranquilo.

Organize-se

Hoje, qualquer pessoa tem uma rotina que envolve um grande número de atividades. E gerenciar toda esta carga de trabalho é difícil. Criar uma lista de atividades a serem cumpridas é um bom exemplo de organizar-se. Dessa maneira você saberá claramente que caminho seguir, e quando chegar ao fim terá a sensação de dever cumprido.

Medite

Respire! Não de forma inconsciente. Tire um momento do seu dia para focar na sua respiração. A meditação te trará para o momento presente, tornando-o mais consciente do seu corpo e suas reações. Durante a sua jornada de trabalho, quando perceber que situações que deixam seu cérebro estressado estão chegando, inspire e expire conscientemente. Você permanecerá no momento presente e terá maior controle do seu próprio corpo.

Conclusão

Pode parecer que o estresse é uma parte inevitável da vida, mas o cérebro estressado pode ter conseqüências reais e significativas à longo prazo. Entender esses efeitos e como combatê-los pode ajudar a promover a saúde geral.

Cada pessoa terá gatilhos diferentes que poderão engatilhar o sistema nervoso. Neste momento é preciso ter consciência de sua existência e aplicar o que for possível para que todas essas situações sejam minimizadas.

Quer saber mais como manter corpo e mente equilibrados. Acompanhe o nosso blog e siga nossas dicas.