O Processo de emagrecimento

O Processo de emagrecimento

Em nosso cotidiano estamos envolvidos com uma série de atividades e mal temos tempo para sentarmos calmamente, escolhermos nossa alimentação e equilibrá-la com qualidade.

Essa questão nutricional é muito importante na problemática do emagrecimento, entretanto, fatores psicológicos e culturais também estão envolvidos nesse problema, na medida em que, constituem a personalidade de uma pessoa com dificuldades para emagrecer. 

Nossa sociedade estabelece que uma pessoa acima do peso, mesmo sendo saudável, é aquela que está fora dos padrões estéticos de beleza, que caracterizam o belo como sendo o magro, o esbelto. Juntamente a isso há toda uma rotulação e um preconceito em relação ao gordo.

Frente a esse contexto, a pessoa é “lançada” a uma exigência social de que deve fazer uma dieta para emagrecer e manter o peso “ideal”, determinado pelo social.

Assim, o ser magro é imposto pela sociedade como um dever-ser

Essa questão cultural acaba “jogando” a pessoa na ansiedade e numa relação de “corredor” com o emagrecimento, fazendo com que só pense em alimentação e dietas. Ao vivenciarem isso, as pessoas geralmente são “engolidas” pela situação, se “movem” por ela, só falam dela e com isso não tomam “distância” da comida.

Como consequência, podem sentir cada vez mais vontade de comer, acabam comendo, e assim rompem com sua dieta ou a manutenção desta. Outro aspecto cultural implicado nessa questão é a noção “mágica”, imediatista, de que, simplesmente, pelo fato de começarmos uma dieta ou diminuirmos a quantidade de alimentos em pouco tempo estaremos magros.

Esquecemos que houve todo um processo que envolveu tempo e ações para engordarmos. A relação com o emagrecimento se dá da mesma forma. É necessário agir de modo a possibilitar que ele ocorra e isso implica em tempo e ações, na medida em que é um processo de emagrecimento.

E a mente, como fica?

O acompanhamento psicológico proporciona, à pessoa, reflexões a respeito do corpo que ela deseja ter, como quer ser e estar no futuro, e ainda, procura auxiliar na manutenção dos resultados da dieta nutricional e médica, fazendo com que ela se reconheça como podendo ser magra e fazendo o caminho necessário ao emagrecimento.

Nesse sentido, a pessoa passa a ter motivos para agir e emagrecer, que é o permitir-se um futuro no qual ela se vê saudável e satisfeita, inclusive, esteticamente.

E você, como encara o processo de emagrecimento? Você acredita que trabalhar o lado emocional é importante neste contexto? Compartilhe conosco sua opinião através dos comentários!

Por: Georgia Bunn – Psicóloga
CRP – 12/08000

Deixe um comentário