Passos para potencializar sua concentração

Passos para potencializar sua concentração

Em nossa rotina extremamente atribulada, nos vemos diante de inúmeras situações importantes e que exigem atenção, desde sair da garagem de casa com seu carro até a forma que você lida com clientes e colegas. Tudo isso são âncoras para sua concentração, exercícios que podem até não parecer, mas exigem muito de você.

O excesso dessas âncoras, no entanto, afeta a forma que seu cérebro funciona e também debilita sua capacidade de concentração.

O grande problema é que manter essa rotina não saudável de forma constante, pode acarretar em problemas sérios no futuro, o mais grave sendo Alzheimer, por exemplo.

Então, o que fazer para evitar mais problemas como esse? Como recuperar a total concentração e não deixar nenhum detalhe do seu dia naquele limbo chato, difícil de alcançar?

Confira conosco alguns importantes passos para resolver esse problema.

O poder dos exercícios físicos na melhora da concentração

Não é apenas para seu físico que as corridas, caminhadas, artes marciais ou horas de musculação surtem efeito. Em totalidade, as atividades físicas têm enorme poder em todo seu corpo, estimulando não apenas corpo, mas a mente.

Em estudo feito no Laboratório de Neurociências do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos, foi comprovado que a prática constante de atividades físicas ocasiona maior produção de neurônios e substâncias vitais para nutrição e desenvolvimento de células.

Isso significa que o cérebro trabalha de forma mais intensa seu hipocampo, região ligada à aprendizagem e à memória. Os exercícios, ainda, têm capacidade de aumentar a circulação e os níveis de oxigenação do corpo, o que previne acidentes vasculares cerebrais e melhoram o funcionamento da memória.

Como um todo, a contração muscular faz o cérebro trabalhar para liberar o fator VEGF (fator de crescimento endotelial vascular), que produz novos vasos sanguíneos. Segundo pesquisas, essa ação contribui para melhora da capacidade de memórias e, por consequência, maior potencial de concentração.

Yoga e concentração, a combinação perfeita

O yoga, ao buscar a estabilidade mental, deixando-a atenta e linear, preza pela calma e, por isso, pela manutenção da concentração. Por trabalhar com meditação, exercícios de respiração e as sequências de postura, exercita mente e corpo em conjunto.

Os benefícios disso são enormes. Sem o impacto da atividade física convencional, seu zelo pela meditação é excelente para se aprofundar nas questões da mente e da concentração. Na questão respiratória, os ritmos exigidos podem estimular a memória além de beneficiarem muitos outros pontos, como capacidade pulmonar e oxigenação do corpo.

Já as posturas são exercícios de tempo e persistência, mas sempre executados de forma fluida. Por isso, sua prática estimula na capacidade de concentração e na estabilização das ondas mentais.

Quais alimentos podem ajudar a melhorar sua concentração?

Claro que, muito além dos exercícios físicos ou da prática de Yoga, outro fator muito importante está na sua alimentação. Alguns tipos de alimentos previnem o envelhecimento cerebral, o que ajuda no quesito da memória. Outros, como os antioxidantes, atuam contra doenças degenerativas, como o já comentado Alzheimer, mas também o famoso Parkinson.

Confira alguns dos alimentos benéficos para a memória:

  • Alimentos ricos em zinco (carnes vermelhas, caranguejos, ostras, ovos): com sua função regulatória, atua na atividade neuronal, nas áreas responsáveis pela memória e pela concentração. Ele protege as membranas dos neurônios, o que ajuda na troca de informações.
  • Alimentos ricos em selênio (alho, carne, grãos, nozes, avelãs, frutos do mar): Estudos mostram que o selênio cumpre importante função na transmissão de mensagens entre neurônios e, por isso, na manutenção da atividade cerebral.
  • Alimentos ricos em fósforo (aves, leite, carne bovina, cereais, legumes, frutas, chá, café): Por ter função importante na membrana celular, ameniza os efeitos de sobrecarga no corpo se houver excesso de atividades mentais, coisa comum no dia a dia atual.
  • Alimentos ricos em Vitamina E (cereais, verduras e azeites vegetais): Se estiver em falta, as fibras nervosas ficam mais suscetíveis a danos. Isso pode diminuir os reflexos e a sensibilidade vibratória, o que afeta na sua concentração.

Tudo isso está envolvido com alguns passos importantes, como a constância do seu cardápio diário. Ou seja, tentar sempre ao máximo comer 5 ou 6 vezes ao dia. Outro fator é não pular o café da manhã e nem os alimentos com glicose (como frutas), pois sua falta leva à fadiga mental e isso acelera as consequências ligadas à memória.

E você, anda cooperando com sua concentração? Que tal começar seguindo alguns dos passos que descrevemos aqui? Esperamos por você na Run!

Deixe um comentário