Tagged as: academia na trindade

7 Dicas para correr melhor!

A corrida nada mais é que uma sequencia de vários saltos com uma perna só, e o que diferencia a corrida da caminhada, é a fase de voo que existe na passada. Hoje, existem algumas dicas validadas pela ciência sobre técnicas e prevenção de lesões desse esporte que vem ganhando cada vez mais adeptos.

A Fisioterapeuta Nay Fiorini, especializada Terapia Manual Ortopédica, parceira da Run e corredora, dá algumas dessas dicas valiosas de como melhorar sua performance e evitar lesões na corrida.

  • Pisada com médio pé. Quando a batida do pé é feita com o “meio do pé”, você faz com que o choque da perna contra o solo seja absorvido pelos músculos, diminuindo assim o stress provocado nas estruturas passivas (a tíbia, o joelho e o quadril)
  • Aumento da Cadencia (frequência de passadas/passos por minutos). Se você tem um relógio de corrida, preste atenção nesse dado. Quando há uma cadência elevada, NĀO “buscamos” a passada a frente do corpo, o que diminui a demanda do joelho e do quadril. Você cai com o médio pé embaixo do seu tronco se empurrando para cima. É quase como saltar.
  • Inclinação do corpo. Panturrilhas, quadríceps (parte anterior de coxa) e glúteos fazem parte da cadeia propulsora. São eles que absorvem o choque e te empurram para cima. É a inclinação certa do tronco, faz você se desloca para frente.
  • Faça fortalecimento. O importante é que você consiga fazer com que essas musculaturas trabalhem de forma equilibrada, O que vemos na pratica é o quadríceps “roubando” todo o trabalho para ele, enquanto o glúteo máximo é pouco ativado.
  • Participe de um grupo de corrida para te acompanhar, te treinar e corrigir a sua técnica. Assim você melhora seu desempenho e evita sobrecargas e possíveis lesões. Nada de fazer o Forest Gump e sair por aí correndo sem rumo e sem treino.
  • Ao sentir dor ou desconforto, procure um profissional responsável, que façam uma avaliação detalhada e um tratamento individualizado. Isso envolve melhorar a suas compensações, fortalecer e trabalhar a consciência da musculatura certa.
  • Sempre procure um profissional de Educação Física para iniciar seu programa de treinamento.

    Mais informações: www.fisionayfiorini.com.br ou pelo telefone (48) 999934692.

Exercício Físico na Gravidez

Sabemos que o exercício físico é essencial para nossa saúde e qualidade de vida. Nosso corpo é uma máquina, e para operá-la, é necessário que esteja funcionando. Quando a máquina mantém-se parada, ela enferruja, e é basicamente por esse caminho que o corpo funciona. No entanto, ainda existem dúvidas quanto ao período de gestação, afinal, a mãe não estará respondendo apenas por ela. Deve-se ou não realizar exercícios?

A resposta para essa questão seria: sim, as atividades para gestantes são liberadas e aconselhadas. Porém, os cuidados deverão ser maiores, com o objetivo de preservar a saúde da mãe e do bebê. Quando uma criança está a caminho, tudo muda, não é mesmo? A rotina, o sono, a alimentação e as preocupações. E assim ocorre com o exercício físico também.

Os cuidados que devem ser tomados na prescrição e realização do exercício são:  

– Quando a gestante já era adepta aos exercícios, o que vai mudar é a intensidade. As cargas devem ser de moderadas à leve;

– Gestantes que não praticavam atividade física só devem realizar se liberadas pelo médico responsável.

– Evitar exercícios que promovam desequilíbrio e/ou sejam realizados em decúbito dorsal a partir do 2º trimestre;

– Manter a respiração controlada, sem promover apneia, pois o bebê também precisa de oxigenação.

– Utilizar roupas leves e confortáveis;

– Hidratar-se constantemente.

Dentre todos os benefícios gerados pelo exercício físico, destacam-se alguns específicos para o período gestacional: 

– Aumento do bem estar e da autoestima;

– Preservação da funcionalidade da gestante;

– Aumento e manutenção da massa muscular;

– Fortalecimento da musculatura que colabora com a diminuição de dores (como as de coluna) e estabilização das articulações;

– Melhora da circulação sanguínea;

– Facilitação na hora do parto (mais rápido e menos doloroso) e recuperação pós-parto;

– Controle de peso da mãe e da criança;

– Menor acúmulo de gordura abdominal pós-parto.

Ou seja, futuras mamães! Façam exercícios físicos sem preocupação, mas com muito cuidado e SEMPRE procurando um bom profissional de Educação Física, que prescreva e acompanhe seu treino.

 

Referências:  

GUEDES, Dilmar Pinto. Musculação, Estética e saúde feminina. 4.ed, São Paulo: Phorte, 2012. p.175-179.

SOUZA, Thais Priscila Lopes; RAIOL, Rodolfo de Azevedo. A importância da prática do treinamento resistido para gestantes. Efdeportes.com, Buenos Aires, v. 19, n. 202, mar. 2015. Disponível em: <http://www.efdeportes.com/efd202/treinamento-resistido-para-gestantes.htm>. Acesso em: 17 jan. 2016.

 

Colaboradores_Marina2

Marina Paula Floriani é estudante de Educação Física na Universidade Federal de Santa Catarina.