Tagged as: academia ufsc

10 motivos para você ALONGAR.

O alongamento é um estimulo físico que gera inúmeros benefícios para o praticante, como relaxamento muscular, aquecimento articular e prevenção de lesões. Alongar consiste em posicionar partes do corpo de forma que alongue os músculos e os tecidos moles. Quando isso acontece as fibras musculares atingem uma posição de repouso máximo, melhorando o desempenho e diminuindo as chances de lesão.

Além dos benefícios citados acima, o alongamento é completo pois ativa mecanismos fisiológicos benéficos e fundamentais para a nossa saúde. Durante o alongamento o cérebro libera substancias, como por exemplo, o fluido cérebro-espinhal. Ao levar uma vida ativa e cheia de movimento, garantimos a produção freqüente dessas substâncias, pois o cérebro e o corpo são constantemente estimulados pelas atividades cotidianas. No entanto, muitas pessoas não vivem assim, e o alongamento pode ajudar o corpo a funcionar de maneira apropriada.

Além disso, alongar acalma o sistema nervoso ao liberar a tensão comprimida entre as camadas de músculos, ossos e articulações. Quando essa tensão se torna crônica, ela causa envelhecimento precoce e sensação de corpo pesado. Quando o cérebro relaxa por meio do alongamento corporal, revertemos esse processo ao enviar sinais para que as células se renovem e faz com que nos sintamos mais vigorosos e joviais.

Muitos exercícios de alongamento como girar, inverter e torcer, massageiam os órgãos internos vitais, especialmente as glândulas do corpo, como fígado, rins, intestinos, pâncreas e glândulas supra-renais. Massagear os intestinos ao girar o corpo facilita o percurso dos alimentos ingeridos e mantém esse órgão irrigado.

Abaixo temos 10 benefícios para convencer você a acrescentar o alongamento na sua rotina e ter uma vida cada vez mais saudável e equilibrada..

  1. Aumenta a flexibilidade, deixando os movimentos mais soltos e leves e melhorando a aptidão física.
  2. Alivia a tensão muscular responsável por dores nas costas, no pescoço e até dores de cabeça;
  3. Relaxa o corpo e a mente, ajudando a aliviar o estresse;
  4. Aumenta a consciência corporal, melhorando também a habilidade para aprender e executar movimentos finos;
  5. Melhora a postura;
  6. Previne lesões esportivas e as dores musculares após o exercício físico;
  7. Previne tendinites e LER (lesão por esforço repetitivo);
  8. Ativa a circulação sanguínea;
  9. Prepara o músculo para a atividade física;
  10. Ajuda o sistema fisiológico a cuidar melhor do nosso corpo.

Que tal incluir mais esse benefícios na sua vida? Você trabalha seu alongamento e flexibilidade em aulas como Yoga, Pilates, Alongamento e claro na Musculação ou em qualquer lugar que desejar!

Quer começar a cuidar do seu corpo agora? Clique AQUI e ganhe 7 dias grátis para provar um pouco da Run!

 

Anderson Machado CREF: 16872 G/SC

 

Projeto Verão ou Projeto Vida?

            Todo ano as promessas são as mesmas… e não estamos falando daquelas velhas promessas de final de ano em que você promete ser uma pessoa melhor no ano seguinte, mas sim da promessa de estar com o corpo sarado para o próximo verão. O inverno termina e você instantaneamente já começa a pensar que o verão vem aí e, consequentemente, a preocupação com o corpo sarado e o biquíni da moda começam a surgir.

Você começa, então, a procurar as dietas milagrosas do momento e as academias com os melhores descontos para ajudarem você a perder todos aqueles quilos indesejados em um curto período de tempo. Você, então, se inscreve na academia com a promessa de ir a todas as aulas, tomar todos os suplementos, fazer todas as dietas e treinar como nunca!

E assim, você inicia o famoso PROJETO VERÃO!

Quem nunca fez essas promessas ou não conhece alguém que as tenha feito?

E tudo bem se você é, ou já foi a favor dessa campanha. Afinal, sabemos que independente do motivo que te fez começar, o importante é você praticar regularmente exercícios físicos.

Mas o que nós da RUN FITNESS CLUB te convidamos a fazer com a gente é justamente abandonar o tal projeto verão. Nós acreditamos que a prática de exercícios físicos e a adesão de hábitos saudáveis não devem estar atrelados ao objetivo de ter um corpo sarado para o verão. Pelo contrário, nós acreditados que esses hábitos devem ser o seu projeto de vida para que você possa ter um corpo e uma mente sempre saudável durante o ano inteiro. Acreditamos também que ele deve se estender para todos os aspectos do seu corpo e mente, não apenas no ambiente da academia, mas a cada segundo do seu dia a dia.

Sabemos que o ritmo de vida está cada vez mais acelerado e que o estresse está cada vez mais frequente em nossas vidas, e que isso pode gerar danos ainda maiores à nossa saúde. De fato, diversas pesquisas indicam que o estresse pode induzir a problemas maiores, como, por exemplo, o cansaço físico e emocional e a dificuldade de se manter concentrado. Como consequência, você acaba cada vez mais estressado, em um processo cíclico que é difícil de romper quando ligamos o piloto automático da rotina.

Mas nem tudo está perdido!

Você sabia que estudos científicos comprovam que o exercício físico reduz o estresse e aumenta amplamente a sua autoestima? (SPENCE et al., 2005). Pesquisas desenvolvidas ao redor do mundo tem mostrado que a atividade física também induz efeitos positivos na sensação de felicidade, na satisfação pessoal e até mesmo no humor (SPENCE et al., 2005, McNEILL et al. 2006, DENNY; STEINER 2009, MARTIN et al. 2009). E, como se não bastasse tudo isso, a atividade física regular também pode melhorar a sua saúde mental, aumentar a interação social e diminuir o isolamento social entre pessoas com algum tipo de doença mental.

Você já parou para pensar o quanto você poderia obter dos benefícios promovidos pelo exercício se você mantivesse seus hábitos saudáveis ao longo de todo o ano? A vida é mais do que um corpo sarado no verão e nosso bem estar mental deve ser tão importante quanto o nosso bem estar físico. O poeta romano Juvenal escreveu no primeiro século depois de Cristo a famosa frase: Mens sana in corpore sano, ou “mente sã, corpo sã”, uma referência ao fato de que o exercício físico é uma parte importante e essencial do nosso bem-estar mental e psicológico.

Então, porque você não dá uma chance para você mesmo e começa a usufruir de todos esses benefícios que o exercício é capaz de promover no seu corpo e na sua mente? Aproveite a febre do projeto verão, mas não se limite a ele: transforme-o no seu projeto de vida. E junte-se a nós na defesa de que um corpo saudável deve ser consequência de um novo estilo de vida e que ele deve ser promovido e mantido o ano inteiro!

Vem com a gente?

Clique AQUI  e ganhe 7 dias GRÁTIS para conhecer a Run!

 

 

 

NAIANDRA DITTRICH, Doutura em Educação Física pela UFSC.

Atividade física e Felicidade.

Todos os dias, em algum meio de comunicação, alguém nos fala sobre os benefícios físicos da prática de atividade física regular, melhoras nos níveis de colesterol, controle da diabetes, manutenção da funcionalidade dos músculos esqueléticos, prevenção e controle de doenças cardiorrespiratórias entre outros, porém ainda podemos falar mais sobre atividade física e a felicidade.

Em um estudo realizado pela Universidade de Penn State, nos Estados Unidos, onde avaliaram 253 pessoas, entre 18 e 25 anos, foi constatado que pessoas que praticam mais atividade física se sentem mais satisfeitas com a vida do que as que praticam menos, detectaram também que aumentar os níveis de atividade física também proporciona maior felicidade no mesmo dia.

Segundo o estudo, durante esse período da vida, é o momento em que mais nos sentimos instáveis com fatores como trabalho, estudos, família e vida social. “Nessa idade há uma série de mudanças ocorrendo, pois essas pessoas estão saindo de casa, mudando de trabalho ou cursando uma universidade. Então, a satisfação com a vida pode despencar de uma hora para a outra”, diz Jaclyn Maher, que coordenou o estudo.

Os participantes do estudo foram orientados a descrever por um período que variou de 8 a 14 dias, um diário no qual relatavam como se sentiam em relação a vários aspectos da vida, tanto profissional quanto pessoal, e também informavam sobre a quantidade de atividade física que praticaram no dia.

Os resultados mostraram que a quantidade de atividade física influencia DIRETAMENTE no quão satisfeito com a vida o individuo se sente. Ou seja, os que praticavam mais atividade física relatavam se sentirem mais satisfeitos e felizes com a vida do que os que praticavam menos.

Além disso, o estudo descobriu que aqueles que já costumam praticar exercícios frequentemente, quando aumentam a quantidade de atividade em um dia, também relatam maior contentamento.
Conseguimos explicar isso, de forma muito simplificada, através de 2 substâncias químicas: o Cortisol e as Endorfinas.

O cortisol é um hormônio que quando produzido pelo corpo em excesso, como em situação de estresse, raiva, ansiedade e medo, provoca efeitos nocivos como diminuição da produção de testosterona, e ação lenta da utilização da insulina, que atrapalha no transporte da glicose para as células musculares, evitando assim a reserva de glicogênio muscular.

As endorfinas, por sua vez, são substâncias que produzidas e liberadas no cérebro provocam sensação de bem-estar, estudos mostram que uma única sessão de exercícios, com duração de 20 ou 30 minutos numa intensidade baixa ou moderada, leva à diminuição do desconforto e da dor.

O exercício físico também induz à liberação de outras substâncias no cérebro, chamadas de neurotransmissores, como a serotonina e a dopamina, auxiliando na redução do estresse e ansiedade.

No estudo realizado por Craft LL e Perna FM, chamado “The Benefits of Exercise for the Clinically Depressed.” Indicam que exercício pode ser tão efetivo quanto os antidepressivos no tratamento da depressão. O exercício aeróbio regular por 30 minutos, praticado pelo menos três vezes por semana, ajudou a pessoas com depressão moderada a relatarem melhora no humor, mesmo com curtos períodos de exercício, como uma breve caminhada, também podem desencadear um efeito positivo imediato.

Se o exercício físico for realizado acompanhado de um amigo, ou em grupo, pode ser ainda melhor, uma vez que a interação social ajuda na melhora da depressão.

Assim, a melhora da saúde, da aparência física e a auto-imagem positiva levam a um melhor controle sobre suas atitudes e seu corpo. Isto pode fazer com que você se sinta mais confiante e seguro em outras áreas de sua vida aumentando sua autoestima, o que faz você mais FELIZ.

IMG_9151_Fotor - JOAO

João Marcelo Motta Siqueira – Educador Físico Cref:014591-G/SC

REFERÊNCIAS:
Maher JP1, Doerksen SE, Elavsky S, Hyde AL, Pincus AL, Ram N, Conroy DE.. A daily analysis of physical activity and satisfaction with life in emerging adults.
Craft LL, Perna FM. Prim Care Companion J Clin Psychiatry. 2004;6 (3):104-111. The Benefits of Exercise for the Clinically Depressed.

ECONOMIA DE TEMPO X TREINAMENTO INTERVALADO

Hoje em dia um dos principais motivos para não praticar exercícios físicos é a falta de tempo (uma pesquisa interna apontou que 27,45% dos motivos de cancelamentos de planos, é a falta de tempo).

Desta forma não há como não pensar em HIIT. HIIT é a abreviação de High Intensity Interval Training, termo inglês para Treino Intervalado de Alta Intensidade. O treino de HIIT consiste em alternar exercícios de alta intensidade por um curto período de tempo, intercalado com tempos de descanso.

No mundo fitness o HIIT vem ganhando muito espaço em treinos visando o emagrecimento. Isso mesmo, você não precisa ficar por horas e horas na esteira para emagrecer. Estudos apontam que protocolos intervalados de apenas 20 minutos apresentam resultados semelhantes ou até melhores que uma hora constante na BIKE.

Há cada vez mais estudos científicas sendo publicadas comprovando a eficácia dos treinos intervalados, para quem deseja perder peso e queimar gordura, principalmente quando comparados ao aeróbios contínuos.

Um estudo realizado na Universidade Gama Filho – Goiana, envolvendo 30 mulheres adultas na faixa etária de 18 a 40 anos, comparou os efeitos os efeitos do treinamento aeróbio intervalado e do treinamento aeróbio contínuo na redução da composição corporal. Dentre os resultados destaca-se; em um mesmo volume de treino, não houve uma diferença significativa no percentual de gordura no grupo continuo, enquanto que no grupo de treinamento intervalado observou-se uma diferença significativa entre as médias de 3,73% de gordura.

E ai será mesmo que a falta tempo é mesmo um motivo para não praticarmos exercício físico?

BELMIRO, Wellingthon de Oliveira; NAVARRO, Antonio Coppi. O EFEITO DO TREINAMENTO INTERVALADO DE ALTA INTENSIDADE PARA REDUÇÃO DE GORDURA CORPORAL. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, São Paulo, v. 10, n. 59, p.224-230, set. 2016.

SANTOS, Michel et al. Os Efeitos do Treinamento Intervalado e do Treinamento Contínuo na Redução da Composição Corporal em Mulheres Adultas. 2001. 12 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Educação Fisica, Pós-graduação Lato Sensu em Fisiologia do Exercício e Avaliação Morfofuncional, Goiânia, 2002.

Anderson Bento é estudante de Educação Física na Universidade Federal de Santa Catarina.

BodyPump e a saúde dos ossos

Existe uma previsão de que, por volta do ano 2020, a osteoporose irá atingir cerca de 14 milhões de pessoas acima dos 50 anos por todo o globo.

Outros 47 milhões adicionais irão sofrer por perda de massa óssea.

Por que devemos nos preocupar?

A perda da densidade mineral óssea pode ser devastadora à medida em que envelhecemos. Fraturas de quadril são uma ocorrência comum em pessoas mais velhas com osteoporose. As estatísticas dizem que uma em cinco pessoas acima de 50 anos de idade irão morrer cerca de 12 meses após sofrer uma fratura de quadril, e menos de um terço irá recuperar seus níveis normais e funcionais.

A perda de densidade óssea pode começar cedo, a partir de 35 anos e a partir dos 40 anos a medida deste declínio acelera. É vital que nós possamos construir um pico de massa óssea antes que este rápido declínio aconteça, e que nós façamos a manutenção dessa massa durante a vida.

O treinamento de resistência é prescrito para manter e aumentar a massa óssea. A prescrição tradicional tem sido trabalhar com pesos elevados em poucas repetições. Apesar deste tipo de treinamento ser amplamente aceito, ele nem sempre é prático para algumas populações. Levantar pesos muito altos na academia pode ser uma barreira para adultos mais velhos ou destreinados e mulheres, para os quais este tipo de intensidade pode estar acima das suas capacidades físicas.

O BODYPUMP Les Mills tem um alcance mais amplo, tanto para praticantes mais idosos como para mulheres. Este programa tem sido visto como algo mais acessível e menos intimidante que o modelo tradicional do treinamento de força com poucas repetições. De qualquer forma, até agora, não há uma evidência especíca sobre como o BODYPUMP interfere na densidade óssea.

Os estudos anteriores apresentam um concito de evidência sobre como o treinamento com pesos mais leves e altas repetições poderiam aumentar a densidade mineral óssea. Esta falta de clareza de consenso nos levou a conduzir um estudo para descobrir qual efeito BODYPUMP pode interferir neste ganho.

Um total de 20 adultos completaram um estudo de 27 semanas no studio de FISIO- LOGIA da Ginástica Coletiva. Eles foram aleatoriamente distribuídos em dois grupos – um para treinamento de resistência total do corpo, outro para treinamento de força do core. Os participantes tinham de 28 a 63 anos de idade, incluindo pessoas que sofriam de osteopenia e também pessoas que já haviam passado pela menopausa. Essas duas populações obtiveram grandes benefícios em densidade de massa mineral óssea.

O grupo de treinamento de força participou de aulas de BODYPUMP, e o grupo de treinamento de core participou de aulas de BODYBALANCE/ BODYFLOW. Ambos os grupos participaram de aulas de RPM.

Os resultados foram bastante surpreendentes.

O grupo que participou das aulas de BODYPUMP viram um acréscimo de densidade mineral óssea de 4% nos braços, 8% nas pernas, 7% na pelve e 3% na coluna.

Os ganhos de força para Agachamento no grupo BODYPUMP foram 25.3% maiores que o do grupo de treinamento de core. Este aumento de força no Agachamento estava diretamente relacionado ao aumento de sua densidade óssea. Em outras palavras, melhorar a sua habilidade de Agachamento irá aumentar a sua densidade mineral óssea.

Outro ganho importante foi na melhoria da densidade óssea da pelve. Ao melhorar a densidade óssea da pelve e das pernas é extremamente significante no sentido de prevenir o potencial de fraturas fatais no quadril.

Uma das coisas mais incríveis no BODYPUMP é que ele é um programa muito acessível para adultos mais velhos e pessoas destreinadas e mulheres. Como a carga é baixa e você escolhe o peso de suas anilhas, ele é um programa fácil de ser praticado por muito tempo, aumentando gradualmente suas cargas. Os participantes com osteopenia aumentaram sua densidade óssea em cerca de 29% enquanto as mulheres que já haviam passado pela menopausa, cerca de 22% de aumento na mesma região.

Os resultados deste estudo mostra claramente que um programa de baixa carga e alta resistência é uma forma efetiva de aumentar a densidade óssea. O BODYPUMP, portanto, é uma maneira perfeita de se manter em forma, forte e manter a saúde à medida em que camos mais velhos.

Confira o quadro de aulas coletivas e comece a cuidar da saúde dos seus ossos hoje mesmo!

Para mais informações
sobre esse estudo, acesse: http://www.minervamedica.it/en/journals/sports-med-physical-tness/article.php?cod=R40Y9999N00A150155

Meninas, mulheres e senhoras: bem-vindas à musculação!

A procura por academias pelo público feminino – mais precisamente a modalidade de Musculação – tornou-se crescente nos últimos anos, seja pela busca por qualidade de vida e saúde, ou exclusivamente estética corporal. Mesmo que muitos mitos em relação à musculação feminina já tenham sido esclarecidos e quebrados, comumente escuta-se a seguinte dúvida: “Mas treinando assim eu não vou ficar musculosa e desenvolver aspectos masculinizados?” Não. Acredite. Não seria assim tão fácil, nem se você quisesse.

Para compreender, é importante que não entendam “hipertrofia” como “músculos exageradamente grandes, iguais aos de fisiculturistas”, e lembrar sempre que o ganho de massa magra pode ser proporcionado em dimensões variadas.

As diferenças hormonais, genéticas e dietéticas entre gêneros permitem que homens e mulheres apresentem resultados completamente diferentes, mesmo se realizarem os mesmos exercícios. É claro que um elevado patrimônio genético facilitará a resposta do indivíduo ao treinamento, melhorando seus níveis de condicionamento rapidamente. Porém, tratando-se especificamente da hipertrofia muscular, o grande protagonista da história é o hormônio testosterona. Este, por sua vez, é o principal hormônio responsável pelo aumento da massa muscular e pela promoção de características masculinas. Isso explica o porquê dos homens exibirem maior grau de hipertrofia, considerando que possuem níveis sanguíneos de testosterona 20 a 30 vezes mais elevados que as mulheres. Ou seja, mulheres não têm suporte hormonal para ganhar massa muscular como homens e desenvolver características masculinizadas, mesmo treinando intensamente e alimentando-se bem; o máximo que conseguirão será garantir uma musculatura tonificada e saudável.

Considerando os fatos, você pode pegar pesado nos exercícios de membros inferiores E superiores. Lembre-se que o sucesso para conquistar as metas de um programa depende da efetividade do estímulo gerado no treinamento; se você objetiva aumentar a massa muscular magra, melhorar a composição corporal, a força, a potência, o desempenho motor, ou qualquer outra meta, é necessário manter-se fiel aos princípios básicos da Musculação e dedicar-se, sem medo!

Referências

POWERS, Scott K.; HOWLEY, Edward T. Fisiologia do Exercício: teoria e aplicação ao condicionamento e ao desempenho. 8. ed. Barueri: Manole, 2014.

GUEDES, Dilmar Pinto. Musculação: estética e saúde feminina. 4. ed. São Paulo: Phorte Editora, 2012.

 

Colaboradores_Monique

Monique é estudante de Educação Física na Universidade Federal de Santa Catarina

 

BODYCOMBAT uma incrível maneira de melhorar a força do “CORE”.

A melhor maneira de desenvolver a força do “core” (basicamente, músculos abdominais e lombares) é através de flexões abdominais no solo, certo?

Bom, não necessariamente. Pesquisas mostram que em uma aula de BODYCOMBAT ™ você pode obter todos os benefícios do treinamento do “core” e fazer mais de 1.700 abdominais antes mesmo de deitar para começar o treino de abdominal!

Não importa quais são os seus objetivos com fitness, o “core” é algo que você não pode ignorar. Um “core” forte é vital para a saúde do corpo inteiro, pois ele nos proporciona estabilidade, ajuda com equilíbrio e pode ajudar com a prevenção de lesões.

Quando se trata de desenvolver essa força, muitos acreditam que as flexões abdominais são a melhor opção, mas um estudo do Dr. Jinger Gottschall na Penn State University prova que pode não ser exatamente assim. Esta pesquisa prova que o BODYCOMBAT proporciona um dos melhores exercícios para o “core”.

Como eles descobriram isso?

Durante o estudo da Penn State, Dr Gottschall contatou um grupo de 20 participantes (incluindo alguns instrutores BODYCOMBAT) e cada participante fez flexões abdominais, socos e chutes, ligados a uma máquina de EMG (Eletromiografia). Os participantes tiveram eletrodos colocados sobre os músculos do “core” relevantes, neste caso, o músculo reto abdominal e os oblíquos externos, e um computador monitorou a ativação muscular. Quanto maior a ativação, mais os músculos estão trabalhando.

Cada um dos participantes realizou todos os movimentos de uma aula de BODYCOMBAT (nesse caso BODYCOMBAT 51), e os níveis de ativação dos chutes e socos foram comparados aos níveis de ativação das flexões abdominais. Em todas as comparações foram identificados níveis de ativação muito maior nos movimentos de BODYCOMBAT do que nas tradicionais flexões abdominais.

A maior ativação do “core” veio dos chutes duplos, que resultou em 2,3 vezes maior do que nas flexões. Em jabs rápidos a diferença foi de 1,6 vezes maior do que nas flexões. Somando todos os movimentos do BODYCOMBAT 51, e tendo em conta o aumento da ativação, chegamos ao numero equivalente a 1.700 flexões abdominais.

Rachael Newsham, diretora do programa BODYCOMBAT, diz que a pesquisa é uma grande revelação. Ela sempre soube que, durante um treino BODYCOMBAT, muita força vem dos abdominais, mas ela não tinha ideia exata de quanta. “Isso prova que o core está trabalhando muito! Movimentos como jabs e joelhadas fornecem uma ativação incrível do “core”. Esta é uma notícia incrível, pois significa que você pode obter um ótimo treino de abdominais com o BODYCOMBAT, e queimar muitas calorias ao mesmo tempo “.

A razão pela qual o BODYCOMBAT é um treino eficaz para os músculos abdominais é por causa de algo chamado “reactive core training”. Isso é o que acontece quando você ativa o “core” através de movimentos naturais fazendo os músculos do abdômen desempenhar a função para a qual foram criados.

Jabs e chutes são grandes exemplos de “reactive core training”. Este tipo de treinamento desenvolve a força funcional do “core” – e essa é a força do abdomem que você precisa para a vida cotidiana.

Então, com isso em mente, prepare-se para quebrar a tradição e obter um ótimo treino de abdominal, com os resultados comprovados com a aula de BODYCOMBAT e com o reactive core training. Afinal, você pode obter todos os benefícios de 1.700 flexões sem fazer nenhuma flexão abdominal no solo!

Está esperando o que? Confira o nosso quadro de aulas coletivas e não perca essa oportunidade.

3 motivos para começar a correr agora!

A caminhada e a corrida são os esportes mais praticados no mundo e no Brasil não é diferente. Estima-se que existam 4 milhões de brasileiros adeptos à corrida, e esse número cresce anualmente desde 1993, ano em que a modalidade teve grande notoriedade em nosso país. A praticidade, facilidade de execução, oferta de locais, equipamentos baratos e momento de reflexão durante a atividade são alguns dos fatores contribuem para essa marca.

Devemos comemorar esse número, afinal, além de ganhos estéticos, a corrida traz saúde e bem estar aos praticantes. Vamos aos porquês de cada um dos pilares:

Estética: durante a corrida, o corpo necessita de energia. Temos reservas para as atividades aeróbias, porém elas são limitadas. Dessa forma, o corpo precisa produzir mais, tanto para repor os estoques como para dar continuidade ao exercício. Cria-se então uma complexa cadeia química para oxidar a gordura e transformá-la em nova energia. De forma extremamente simples, é isso que acontece quando fala-se em “queimar gordura”.

Saúde: quando estamos em estado de repouso, nosso corpo atinge a homeostase, que é um estado de equilíbrio. A partir do início de uma corrida, os músculos trabalhados passam a necessitar mais oxigênio e nutrientes, é tarefa do coração bombear mais sangue para suprir essa demanda. Dessa forma, todo o sistema cardiorrespiratório trabalha mais, e durante o descanso, sofre uma supercompensação, melhorando sua eficiência para o próximo desafio e diminuindo as possibilidades de doenças cardíacas. É comprovado cientificamente que a corrida melhora a pressão arterial, baixa os níveis de colesterol, além de auxiliar na melhora da densidade mineral óssea, fator muito importante para pessoas com osteoporose.

Bem estar: durante a corrida muitas ações concomitantes ocorrem em praticamente todos os sistemas do corpo, e com o sistema nervoso central (SNC) não é diferente. Assim como na hora do orgasmo, o SNC libera endorfina, como uma resposta que objetiva o bem estar do corpo, que, em função da quebra da homeostase, aparenta estar sofrendo. Esse e outros hormônios trazem uma sensação de prazer e até aliviam dores. Pesquisas indicaram que exercícios aeróbios podem melhorar em até 15% a capacidade de aprendizado, concentração e raciocínio abstrato. Tudo isso pois durante a atividade podem-se estimular novos neurônios e melhorar a oxigenação do cérebro.

Toda moeda tem dois lados, e nem só de glórias vive a corrida. Sempre existe a possibilidade de lesões e até casos mais graves, como problemas cardíacos durante a atividade. É muito importante a visita prévia ao médico e a prescrição de um Educador Físico. Florianópolis é a capital mais ativa per capita no Brasil, com diversas assessorias de corrida e atividade física. Procure uma próxima de sua casa, além de todos benefícios supracitados, você fará uma nova rede de amigos e terá novos desafios diariamente. Não se assuste se você não consegue correr, a grande maioria inicia caminhando até evoluir para corridas de grandes distâncias.

111

Alex Tomé é Educador Físico formado pela UFSC com especialização em Treinamento Funcional pelo Core360º e Corrida de Rua pela VO2Pro. Também é corredor, já fez todas as distâncias desde 5km até maratona e atualmente está em preparação para sua primeira ultramaratona (72,5km).

Referências:
SILVA, Mario SA. Corra: guia completo de corrida, treino e qualidade de vida. 2009.
POWERS, Scott K. Fisiologia do exercício. 6ª Ed, 2009.